Buscar
  • Davi Borges

Gestão de compras e estoque

Toda empresa que tem como objetivo vender produtos, tem como elemento fundamental o estoque. No varejo farmacêutico não é diferente, por isso, um controle rigoroso e uma gestão eficiente do excesso e falta de produtos, são essenciais para o sucesso do seu negócio.

Digamos que o estoque é como se fosse o “coração” da drogaria ou farmácia. Já viu quando o coração de uma pessoa não está bom? Precisa fazer diversos tipos de procedimentos, alguns mais delicados, outros menos. Deste modo, a falta de mercadorias e produtos podem gerar consequências graves no seu negócio, impactando diretamente as vendas. Por isso, fazer o controle e a gestão do estoque de uma forma eficiente é a solução de vários problemas.



1. Porque fazer o controle do meu

estoque?


2.Quanto comprar?

3.Para quanto tempo?



Ter um estoque saudável não quer dizer ter volume, mas sim ter a quantidade certa para suprir sua demanda, e sabemos que compor o estoque de uma farmácia não é uma tarefa fácil. Ai nos deparamos com a a seguinte pergunta: quanto comprar? As empresas não podem simplesmente adquirir um alto volume de estoque, até porque no ramo farmacêutico a diversidade de produtos é gigantesca.

Sendo assim, definir as quantidades essenciais na hora da compra, para ter um bom estoque, levando em consideração as variações, é fundamental. Deste modo, listamos alguns fatores que você DEVE levar em consideração na hora de gerir sua área de compras e formar seu estoque:


1) CONHECER A CLIENTELA

Identifique se seus consumidores são de passagens ou da região. Quem são? São jovens, aposentados, empresários? Há hospitais próximos da sua farmácia? Considere também as estações do ano, a sazonalidade, é importante para priorizar e quantificar os produtos que irão compor o seu estoque.


2) PARA QUANTO TEMPO?

A previsão de demanda dos estoques pode ser feita de duas formas: com informações qualitativas e quantitativas. As informações qualitativas são subjetivas, ou seja, opiniões ou desejos. A principal fonte é pesquisa com clientes e colaboradores. Este modelo é o mais suscetível a erro e, normalmente, adotada nas pequenas farmácias.

Já as informações quantitativas são objetivas e geradas por meio de análise de dados. Grande parte dos ERP’s permitem esta análise por meio de relatórios, gráficos e registros em geral.


3) TÉCNICAS DE PREVISÃO:

Aqui que está o pulo do gato!! Pouquíssimos ERP’s possuem um modelo de previsão de demanda concreto e confiável, levando em considerações as demandas sazonais e os movimentos de mercado. Para dizer a verdade, alguns movimentos não podem depender apenas do ERP, mas também do comprador, visto que o sistema não conseguirá prever movimentos esporádicos, como o aumento explosivo que tivemos de Ivermectina em julho de 2020.



4) CURVA ABC

A Curva ABC é um método que classifica seus produtos em estoque, baseando-se em quantidades e custos unitários, de acordo com o volume de vendas médias diário de cada produto.

Produtos curva A: Um grupo seleto de produtos que precisam ser mantidos em constante observação. Nós consideramos que estes produtos são aqueles que, juntos, representam 50% do faturamento e muitas vezes não chegam a representar nem 10% do total de produtos vendidos no período. Isso quer dizer que 50% das suas vendas está centralizada em um pequeno grupo de produtos que não chega a representar nem 10% do total de produtos disponíveis.

Produtos curva B: São produtos de retorno e rotatividade intermediárias. Médio custo e giro estoque. Neste grupo já temos um maior número de produtos, mas que juntos não representam mais de 40% das vendas.

Produtos Curva C: Estes são aqueles produtos de baixíssimo giro, juntos totalizam 10% do faturamento, mas que representam, em volume, a maior parte dos produtos disponíveis.



5) QUANDO COMPRAR?


Apesar de existir inúmeros métodos, os dois mais utilizados são: Demanda média em 90 dias e Estoque máximo e Mínimo.

Hoje vamos falar sobre estoque máximo e mínimo. Considere o número de vendas médio diário e o prazo de reabastecimento dos laboratórios e distribuidores de cada produto e faça o cálculo da seguinte maneira. Após o pedido, seu distribuidor leva até 2 dias para entrega do produto e sua venda média é de 5 unidades. Multiplique estes dois fatores e chegará ao seu estoque de segurança mínima


VMD = 5 x 2 dias = 10 estoque de segurança mínimo

Como o nome já diz, esta é a quantidade mínima que o seu estoque deve manter para cobrir eventuais faltas ou atrasos. E também é hora de fazer um novo pedido e garantir que suas vendas não sejam comprometidas.

Mediante aos fatos expostos e seguindo cada um dos passos acima você terá uma gestão de compras e estoque eficiente, saberá quanto pedir em cada produto, o que tem mais saída, o que tem menos saída, e ter um estoque mínimo para atender os pedidos dos seus clientes.